Vegetal sem clichês | Teva
Clippings

Vegetal sem clichês

Sucesso no Rio, o Teva conquista os paulistanos com sua cozinha sofisticada e seu ambiente que foge dos estereótipos veganos por Bruno Segadilha

á três anos, quando inauguraram o Teva em Ipanema, no Rio, o chef Daniel Biron e o empresário Daniel Oelsner tinham como meta servir uma culinária 100% vegetal sem cair em estereótipos. Sim, estamos falando de um restaurante vegano, é verdade, mas a dupla nunca gostou de se vender assim. “Queríamos fugir daquele rótulo de saudável, esotérico e alternativo”, lembra Biron. A ideia deu certo. Em pouco tempo, a casa de visual moderno e de temperos marcantes tornou-se referência na cena gastronômica carioca. Depois de tanto sucesso, os dois viram que era hora de crescer e de fazer uma nova aposta: conquistar o paladar dos paulistanos. Assim nasceu a segunda unidade do Teva, aberta desde abril do ano passado, no charmoso bairro de Pinheiros.

O ambiente é amplo e tem um espaçoso bar logo na entrada. A decoração descolada, com chão de cimento queimado e paredes repletas de plantas, mostra que o lugar está mesmo longe de ser um restaurante natureba. Assim como a matriz do Rio, a filial tem como proposta servir uma comida vegetal bem feita, oferecer uma boa carta de drinques e se destacar com um serviço de qualidade. Também como aconteceu com a unidade carioca, o Teva começou funcionando apenas à noite, com uma pegada de gastrobar e drinques criativos e, algumas semanas depois, passou a abrir para o almoço.

O menu mistura itens que já se tornaram clássicos e novidades criadas exclusivamente para o público de São Paulo. Velhos conhecidos do público continuam fazendo sucesso, a exemplo de entradas como a Couve-flor Manchurian, empanada, frita e servida com molho apimentado, cebolinha e gergelim branco; o carpaccio de portobello, servido com as torradinhas crocantes; e o taco de jaca verde, sempre surpreendente.

Entre as novidades, destaque para os pratos grelhados na brasa, como os aspargos verdes com molho barnaise, o tofu picante e a abóbora cabotiá grelhada. Entre os principais, vale experimentar o canelone recheado de ricota de tofu e espinafre, molho cremoso de castanha-de-caju e alho negro e muçarela de castanha. Se for na hora do almoço, não deixe de pedir o potente Pad Thai, feito com nirá, molho de tamarindo picante e servido com tofu e legumes.

Reserve espaço para as ótimas sobremesas, entre elas o Bolo Toffe com maçã caramelizada, que chega à mesa quente, sobre um caramelo de coco, sorvete de canela e pralinê de nozes. Outro doce imperdível é o brownie com sorvete de baunilha, calda quente de chocolate, nozes pecan caramelizadas e banana brulêe.

A origem dos ingredientes, aliás, é um ponto crucial do negócio. Os sócios procuram usar ítens orgânicos e sazonais, vindos de produtores locais. “Não faria sentido a gente trazer uma alface do Rio, por exemplo. Já imaginou o combustível queimado para fazer essa viagem?”, pergunta Oelsner. Tamanha preocupação com a sustentabilidade fez do Teva o primeiro restaurante com o selo B do Brasil, certificado que atesta a consciência ambiental da casa e o impacto positivo que ela traz para a sociedade. Não à toa, os paulistanos, assim como os cariocas, já caíram de amores por esse lugar.

Ξ TEVA 11 3062 8257